Vovô

pais-de-primeira-viagem-bebe-gravidez-amamentacao-vovo-malucoA Bia tem um vovô maluco que usa um belo cavanhaque. Um dia, ele foi dar um beijo no rostinho dela e a Bia se assustou e chorou (deve ter espetado). Ele ficou muito chateado, mas logo depois ela já estava toda toda com ele. Veja a dica do Amigo Revisor sobre a visita do vovô da Milena.

Dica do Amigo Revisor: Ei, vamos visitar a Milena

revisor amigo dos pais de primeira viagemQuando a gente sai por aí com a Milena, é uma festa. Com aqueles dois dentinhos salientes na parte de baixo, todo mundo quer falar com a guria, mandar beijo, brincar um pouquinho, dar tchau… E ela não sabe pra onde olhar, porque quer ver as pessoas e chamá-las, observar o que está acontecendo. Eu costumo dizer que a minha filha é uma criança “altamente sequestrável” (isola, pessoal, isola): a garota dá trela pra qualquer um, pô. Só falta pular no colo dos outros.

E, claro, com a família não é diferente. Nos fins de semana na casa dos avós maternos ela é a estrela, principalmente quando os padrinhos e a priminha aparecem. Até pra tirar foto ela arreganha aquela boquinha meio banguela e dá uma risada gostosa que nem sei explicar (e, claro, os amigos que estão lendo estas modestas palavras podem imaginar o papai aqui já com os olhos marejados, só suspiros, e eu garanto que é por aí mesmo, viu). Ou seja, com ela não tem tempo ruim.

Sendo tão receptiva, no entanto, a gente não entendeu nada quando ela estranhou o vovô paterno na sua última visita.

A campainha tocou aqui e peguei a Milena no colo pra abrir a porta. Abri só uma frestinha, pra ela olhar quem estava do lado de fora. Ficou muda. O vovô chegou rindo, brincando com ela, mas… a guria ficou bolada, me abraçou e chorou, pra decepção do meu pai. Ele não é um avô ausente, mas não mora muito perto, de modo que as visitas acabam sendo apenas eventuais. Pra limpar a barra dele em relação a isso, aliás, devo dizer que a gente também não o visita muito. De qualquer forma, há outros parentes que nós não vemos com tanta frequência e que a Milena não estranha. Sem falar que eu sou a cara do meu pai (não tão bonito, nem tão esbelto, admito). Então o que houve?

Bem, pra sorte do vovô, e como recompensa por ter vindo de longe e perseverado na corte à neta, conforme a tarde ia avançando, a Milena se mostrou mais atirada e no fim do dia foi no colo do meu pai — rapidinho, mas foi. Brincou um pouquinho com ele, tirou foto, mostrou os dentinhos e, já mais saidinha, desgrudou um pouco de mim. No fim das contas, valeu pela luzinha amarela acesa: tem que ver a Milena com mais frequência, vovô. E, pro papai aqui, o lembrete de que tem que levar a Milena pra ver o vovô mais vezes também. Sobrou mea-culpa pra todo mundo…

Related posts:

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *