De mudança

cancelamento de serviço
Dica do papai: Mudança, bagunça e burocracia.

pai de primeira viagemEstamos de mudança, vamos para um apartamento mais adequado para a Bia. Mudar com bebê já é uma tarefa suficientemente difícil, mas impossível mesmo é cancelar todas as contas: luz, gás, serviço de telecomunicação… Este último em especial.

Seria tão bom se quando pedíssemos o cancelamento de um serviço, a empresa simplesmente cancelasse, sem multa por “fidelidade”, sem pedir várias vez seus dados, sem você ficar horas esperando e ter que explicar os motivos para vários atendentes… Isso quando a ligação não cai.

Enfim…faz parte da dinâmica do nosso país… Mas vamos voltar ao que interessa em nosso diário de pais de primeira viagem: mudança com bebê.

Como a casa está imunda e cheia de caixas e objetos perigosos por todo lado, a Bia fica confinada a espaços restritos, às vezes, o berço é o único local seguro.

Se você não tem babá, como nós, e ninguém pode ficar com o bebê durante os preparativos da mudança vai ser bem estressante todo este período, pois a criança fica confusa com toda a agitação e não podemos dedicar muito tempo pra ela.

Nossa dica é, tente manter o quarto do bebê intacto até o último momento.

Transforme toda a confusão em brincadeira, colocando música e mantendo sempre o clima agradável (ok…menos quando for cancelar a conta da internet), não deixe o bebê sozinho no berço por muito tempo, vá lá e brinque com ele entre o fechamento de uma caixa e outra.

Por fim, mudanças são necessárias, principalmente se forem para o bem da família.

contribua com o pipipum

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Trabalhando…

pais-de-primeira-viagem-bebe-gravidez-amamentacao-trabalhando

Dica do amigo revisor: Trabalho em casa.

revisor amigo dos pais de primeira viagemOutro dia eu tava aqui, na madruga, no plantão do freelancer, com um texto enorme – e chato – pra ser entregue no dia seguinte. Bem, não me chamam de “Amigo revisor” à toa: eu corrijo e edito textos, como os do Pipipum, aliás. Já tinha estourado um prazo e não podia perder de novo a data pra enviar o material. Deixei a TV ligada, no mudo, enquanto espancava o teclado, cortando pronomes e jogando no lixo advérbios desnecessários. De vez em quando eu dava uma olhada no filme – Cemitério maldito, aquele em que um bebezinho vira um morto-vivo e massacra a família inteira. Justamente na cena em que o guri engatinha pela casa com um bisturi na mão, depois de mutilar o vovô, eu dou um pulo danado, seguido de um grito medonho: a MILENA me aparece na sala, do nada, engatinhando do meu lado, rindo pra caramba. Ela acordou no meio da noite, levantou e resolveu dar um rolé pelo apartamento enquanto a mamãe tava ferrada no maior ronco e o papai aqui trabalhando. Rapaziada, eu quase enfartei, tou dizendo…

Como trabalho em casa, tenho horários meio loucos – como o Filipe e a Su (o papai e a mamãe da Família Pipipum). Eu juro que tento, mas muitas vezes – muitas MESMO – é difícil não estar trabalhando quando a Milena chega do berçário com a mamãe. Até nos fins de semana acontece de eu estar pegado com os frilas e aí não tem jeito: não consigo dar aquela atenção necessária pra guria. Falo isso de coração partido, principalmente porque sei que quem trabalha precisa reservar um tempo pra família, ainda que isso exija sacrificar a “produtividade”.

Claro, num mundo perfeito, eu vou cultivar os hábitos corretos e fazer tudo o que tenho de fazer num horário planejado. Mas nem sempre é assim que funciona – eu diria que, pra minha infelicidade, quase nunca é assim, aliás. Mas gente, gente… não pode ser assim. Vocês, meus amigos freelancers, têm uma vida de verdade pra tocar e seu ofício é apenas mais um trabalho que, como qualquer outro, exige certa disciplina. Tem de haver negociação. E o bom freelancer precisa se organizar pra não acabar com a pressão alta, dormindo só duas horas por dia e consumindo toda a cafeína disponível nesta dimensão.

E eu ainda tenho uma colher de chá, digamos: passo o dia sozinho, sem distrações. Mas a Su e o Filipe, por exemplo, têm de se desdobrar pra cuidar da Bia. A Suzani precisa parar o trabalho e dar atenção ao bebê enquanto o Filipe cozinha; e então o Filipe troca com a Su pra ela conseguir fechar outro frila. É um baita malabarismo, apesar de ser gratificante poder estar em casa e acompanhar de pertinho o crescimento do seu bebê. Mas meus amigos… que sufoco.

Nos dois casos, a palavra-chave é a mesma: organização. Anote suas obrigações numa agenda; projete metas diárias; não pule refeições; durma bem, na hora certa. Saiba dividir com o parceiro as responsabilidades e o momento de dar atenção aos filhos – na impossibilidade de os dois estarem disponíveis ao mesmo tempo, claro. E não desanime, poxa vida. Ninguém disse que ia ser fácil. Mas só você sabe o quanto te dá prazer ficar numa boa com o seu filho (e com os trabalhos em dia, pra pagar as contas sem susto, rs).

Apoie o Pipipum e contribua para que nossas postagens continuem sempre regulares e cada vez mais divertidas! Acesse: https://apoia.se/pipipum

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Compras com o bebê

pais-de-primeira-viagem-bebe-gravidez-amamentacao-popstarDica do papai: Supermercado com a diva.

pai de primeira viagemA ida ao supermercado com um recém-nascido é um passeio superdespreocupado e até prazeroso, pois o bebezinho tira uma boa soneca e você faz suas compras na maior tranquilidade… Mas o tempo passa e quando você pisca eles já estão enormes!

Eu já estava habituado a ir ao mercado com a Bia. Nós tínhamos um momento pai & filha, e a mamãe curtia uma folguinha em casa. Já fazia um tempo, no entanto, que não dávamos esse passeio. Aí hoje eu fui às compras achando que ia ser como sempre… mas, na verdade, foi um sufoco!

Aquele bebê que dormia no carrinho assim que saía de casa agora berrava pra não ficar nele. Então peguei a Bia no colo e lá fomos nós fazer as compras: cestinha em uma mão, bebê na outra. E como foi PÉSSIMA a ideia de levar o carrinho! Tive de empurrá-lo com o pé! E, enquanto isso, nossa pequena diva, sempre muito simpática, ia acenando para todo mundo com um grande sorriso digno das misses, rsrs

Foi um passeio bem cômico, pois, fora a trapalhada, a Bia brincava de esconde-esconde com todos a sua volta. Suas mãozinhas agarravam tudo que conseguiam alcançar em um piscar de olhos. Foi uma festa, admito. Mas percebi algo curioso: quando é um homem atrapalhado com um bebê, ninguém oferece ajuda. Gente, nós também precisamos de ajuda! Rs…

A dica de hoje é: Slings!! Tenha sempre um à mão. Principalmente quando for ao mercado. Em breve faremos um post especial sobre Slings.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Zzzziiiiiiiiiiiiiiiiiin

Prevenção de zicaDica do papai: Família caça-mosquito.

pai de primeira viagemToda noite aqui em casa, na hora de dormir, passamos pelo mesmo ritual: a mamãe tira a Bia do quarto, eu entro de peito estufado, cheio de ousadia e coragem, e só saio depois de eliminar o maior número possível de pernilongos.

Moramos no primeiro andar e às vezes, em uma só noite, encontramos mais de dez “borrachudos” no quarto. E as picadas, além do inconveniente dos calombos que dão coceira, podem trazer doenças, como zika e dengue (isola, rs!). Ou seja, não dá para ignorar a presença da mosquitada – ainda mais com aquele zumbido insuportável no ouvido.

Contra mosquitos já tentamos de tudo: citronela, incenso, mosquiteiro… E nós evitamos produtos químicos, pois até os 6 meses do bebê não é recomendado. Então o que sobrou foi a boa e velha raquete eletrizada.

Confesso que consigo me divertir, porque não há nada mais gratificante do que dar um choquinho nessas muriçocas danadas… Que a Sociedade Protetora dos Animais me perdoe, mas faço 99% pelo bem-estar da família… com aquele 1% de “sadismo”, rs.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Bebê Corleone

poderosa chefinha

Dica do papai: Quem está no comando agora?
pai de primeira viagemAntes de a Bia nascer, ainda na barriga da mamãe, nosso pequeno apartamento era um brinco: sempre arrumadinha, com o chão limpo, luzes na medida, som ambiente e cerveja importada na geladeira. Mantínhamos tudo no lugar. Criamos até um espaço que chamávamos de “cantinho da fofura”, já com alguns brinquedinhos pra ela, o futuro berço e umas mantinhas (perfeitamente dobradas e perfumadas).

Então nossa princesinha nasceu e logo completou 6 meses. Não podemos negar a alegria que ela trouxe para nossa casa. E, junto com tanta alegria, claro, veio a bagunça… MUITA bagunça, meus amigos.

No chão da sala, agora, há um tapetinho de brincar, que toma todo o espaço. Muitos brinquedos, banheira, carrinho e roupinhas sujas espalhadas pela casa. Agora as luzes são funcionais e a música tem de ser muito baixinha, pra não acordar a Bia. E nada de cerveja na geladeira: só legumes, pra fazer a papinha.

Aí eu te pergunto: quem é a chefe da casa agora? Sim! Somos meros coadjuvantes neste novo filme das nossas vidas. A estrelinha é a Bia, rs! Dica: Não desista de deixar as coisas organizadas perante o caos. A coisa tende a virar uma bola de neve. Junte suas energias e esforce-se para sempre manter a casa arrumada.

P.s.: Um baú de brinquedos pode ajudar na tarefa de deixar tudo no lugar.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail