Alimentação após a gravidez

alimentação após gravidez

mamãe de primeira viagemA chegada de uma criança é um furacão na vida do casal, mas uma outra grande mudança acontece na geladeira.

Quando são só os dois, um sanduíche resolve o almoço e uma pizza o jantar. A preguiça costuma reinar a casa, vai dizer que não?

Mas com um recém nascido e a necessidade de uma alimentação melhor, ter sempre legumes e frutas fresquinhas na geladeira contribui muito para evitar cair nos alimentos industrializados que na correria do dia a dia são mais práticos.

As idas a mercados e feiras tornam-se uma obrigação e sei que é um tanto chato, mas lembre-se sempre que uma boa alimentação da criança e dos pais (tal mãe tal filho) irá definir o paladar dela pro resto da vida.

É com muito orgulho que com apenas 18 meses já vejo que a Bia prefere brócolis a pizza! E toda vez que vê qualquer coisa verde no prato, é por ali que ela começa. Foi difícil claro, mas já posso ver os resultados o que me incentiva mais ainda a permanecer saudável de agora em diante!

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Semana Mundial da Amamentação

beneficios da amamentacao

Dica da mamãe: Semana Mundial da Amamentação

mamãe de primeira viagemAmamentar faz muito bem tanto para mãe como para o bebê, mas infelizmente algumas mamães ainda precisam se informar muito para poder proporcionar uma amamentação prolongada.

A Organização Mundial da Saúde recomenda que seja no mínimo até os 2 anos, porém sabemos que na realidade essa manutenção não é muito fácil. Principalmente devido ao fim da licença maternidade ser, muitas vezes, menor que 6 meses.

E, para celebrar esta semana tão especial, no post de hoje teremos dicas de como manter a produção de leite pelo menos até os 6 meses do bebê:

-Ordenhe leite e congele, com data e hora identificadas, para quem for ficar com o bebê poder dar em forma de copinho ou mamadeira (é recomendada a técnica do copinho, que você pode aprender no banco de leite ou aqui).

– Ordenhe no trabalho com bombinha ou a mão se houver local apropriado e coloque em potes de vidro esterilizados (tipo maionese) e em uma geladeira ou saco térmico com gelo para manter resfriado até chegar em casa. Assim você ainda pode dar o leite no dia seguinte. Na geladeira dura 24h e congelado até 15 dias.

-Quando chegar em casa, amamente seu bebê em livre demanda, pois isso ajuda na manutenção do leite a criança “mata a saudade”.

– Quanto mais você retirar o leite, maior a produção.

– Beba muita água. Pelo menos os 2,5 litros normalmente recomendados para quem amamenta.

– Como o estresse reduz a produção de leite, retire-se para um local calmo antes de amamentar ou ordenhar e relaxe. Tome um chá ou um suco ouvindo aquela música que te deixa zen.

– Às vezes, o peito parece murcho e vazio, e você acha que a produção está baixa, mas basta apertar a auréola dos seios para confirmar que estão bem abastecidos. Essa falsa impressão ocorrer porque chega um momento em que a produção se adéqua à quantidade de leite consumida por seu bebê e, com o passar do tempo, vai diminuindo. Mas se você estiver querendo aumentar essa produção tome muita água, chás, sucos e frutas suculentas.

É óbvio que não é fácil manter essa rotina diariamente, mas persista. A recompensa será um bebê mais forte, saudável e uma mamãe com menos risco de desenvolver mastite ou até mesmo câncer de mama.

Para saber mais acesse: Babycenter

contribua com o pipipum

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Tabela nutricional (segundo a Bia)

pais-de-primeira-viagem-bebe-gravidez-dia-nutriDica da mamãe: Ao gosto do bebê

mamãe de primeira viagemA Bia está com 8 meses e percebemos que ela já tem algumas predileções alimentares. Notamos, por exemplo, que ela curte brócolis, beringela e chuchu, e rejeita carne, abobrinha e batata-doce.

A pediatra explicou pra gente que é muito importante introduzir a maior variedade possível de alimentos, até aqueles de que nós mesmos não gostamos! Assim, o bebê irá se acostumar com os mais diversos sabores desde cedo. Porque conhecendo o sabor dos alimentos ele terá mais chances de se alimentar de forma mais saudável no futuro.

Mesmo que o bebê não demonstre interesse por essa ou aquela comidinha, insista sempre, pois em algum momento ele pode mudar de ideia. 😉

Mas, é importante lembrar, há muita coisa que não é recomendada para bebês de menos de 1 ano: açúcar refinado ou mascavo, mel, chocolate, laticínios, leite fermentado, biscoitos ou bolachas doces e recheadas, café, embutidos (presunto, salsicha, peito de peru), refrigerantes, sucos adoçados, entre outros.

contribua com o pipipum

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Bebê no inverno

bebê no inverno

Dica da mamãe: Bebê agasalhado sim, mas sem exageros

mamãe de primeira viagemPois é, o frio chegou e você nunca sabe se o bebê está bem agasalhado ou não. As avós então… piram! É um tal de cobre aqui, cobre ali, cobre todos os cantinhos do bebê — a ponto de ele nem conseguir se mover! Rs.

Infelizmente, é mais difícil perceber se o seu filho está com frio do que com calor. Mas, de acordo com o pediatra Fábio Picchi (CRM 41644), os bebês o sentem tanto quanto os adultos. Assim, para saber se o bebê está com frio, basta verificar a temperatura do peito. Como as extremidades são sempre mais frias, por onde ele perde mais calor, o ideal é sempre colocar uma camada extra de roupa, além de luvas e meias quentinhas.

O ideal é vestir seu bebê em “camadas” (body + calça + casaquinho), pois você pode adicionar ou retirar mais um agasalho caso a temperatura varie muito. Procure utilizar também roupas de algodão, o que evita alergias e permite que a pele do bebê continue respirando.

No entanto, com tanta roupa, seu bebê pode começar a suar. Fique de olho; se houver sinal de que ele está com calor, reduza uma “camada” de roupinhas, pois agasalhos em excesso podem provocar até desidratação.

E pronto! Agora é só curtir o friozinho com seu filho, devidamente preparado pro inverno que vem por aí

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Gripe em família

Bebê resfriadoDica do papai: Gripe! 

pai de primeira viagemCof! Cof! Funga! Funga!

Jamais subestime a gripe de uma criança!

Nunca realmente me preocupei de a Bia ficar gripada. Ela é forte e saudável, e a Su tem uma alimentação balanceada, deixando o leite materno forte e imunizante. Eu imaginava que ela, no máximo, poderia pegar um resfriadinho de nariz escorrendo. Ah, se arrependimento matasse…
Você fica superpreocupado com seu bebê todo encatarrado e com dificuldade para respirar. Pra piorar, a criança não sabe escarrar, ou seja, a obstrução na garganta só aumenta e ela fica aflita. Aí mais uma vez entra em ação aquele “sugador de meleca”, para amenizar a coriza, e para o terror da pequena, rs.
Obviamente, ninguém dorme, já que o bebê acorda de hora em hora chorando. Um suplício pra todo mundo.
A recomendação da pediatra foi a nebulização, mas pra Bia ficar parada tivemos de apelar e chamar a Peppa Pig pra dar uma força pra gente…
A dica é aquela manjada, mas que ainda vale, e muito: previna-se o máximo possível, principalmente para não passar sua gripe para o bebê. Lave as mãos, use máscara, durma em quarto separado ou o que der pra fazer, porque é terrível!!! Tome vitamina C, evite banhos quentes e agasalhe-se, pois a família inteira pode acabar gripada.
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail