Evite incidentes

pais-de-primeira-viagem-bebe-gravidez-alibe-sparcoDica da mamãe: checklist

Viajar com o bebê parece uma mudança. É tanta coisa pra levar que temos sempre a sensação de estar esquecendo algo.

Especialmente em passeios de carro, é importante ter uma bolsa à mão com as coisas que vai precisar usar durante a viagem.

Fizemos então um checklist para ajudar. Confira!

  •  8 fraldas descartáveis;
  • 1 creme antiassadura;
  • 4 roupinhas extras;
  • 1 casaquinho + calça + meia;
  • 1 pacote de lenço umedecido;
  • 1 antigases;
  • 1 remédio de dor de cabeça (só pra garantir);
  • 1 gel antisséptico;
  • 2 absorventes de seios;
  • 1 trocador portátil;
  • 1 manta ou cueiro;
  • 1 fralda de pano para limpar babas e golfadas;
  • 1 pente ou escova de cabelo;
  • 1 mordedor e um brinquedo com botões piscantes e barulhentos para distrair;
  • 1 chapéu;
  • 1 bolsa para colocar tudo isso;
  • 1 chave de casa;
  • 1 celular da mamãe e/ou do papai;
  • 1 camisa extra pra mamãe e/ou pro papai;
  • biscoitinhos(para beliscar);
  • 1 garrafinha de água;
  • 1 babador;
  • 1 cadeirinha de carro (de preferencia com o sistema isofix).

(Ah! E vê se não esquece de levar o bebê!)

Muita coisa, né? Pois é… E isso é só a malinha de mão!

segurança no trânsito

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Viajando com o bebê

viajando com bebê

Dica do papai: viagem com conforto

pai de primeira viagem

Viagens longas de carro são sempre cansativas, mas se o bebê contribui já é de grande ajuda, né.

E escolher uma cadeirinha apropriada para manter o bebê mais confortável na viagem é fundamental.

Algumas cadeiras contam com mais de um ponto de inclinação e um sistema de acionamento muito leve. Assim, caso a criança durma, o motorista consegue inclinar o dispositivo de retenção de crianças (DRC) sem sair do lugar.

Mas e se no meio do caminho… pipi e pum!? 😞

Nesse caso, a capa do estofado deve ser removível e lavável. Verifique se o sistema de ajuste do cinto tem um botão para destravamento e ajuste da cadeira ao corpo da criança.

Enfim, as cadeiras infantis para automóveis não só são obrigatórias, pelo Código Brasileiro de Trânsito, como também a única forma de garantir a segurança do seu filho no interior do veículo.

cadeirinhas de carro

Salvar

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Semana da segurança no trânsito com o bebê

pais-de-primeira-viagem-bebe-gravidez-seguranca-sparco

Dica da mamãe: melhor prevenir do que remediar.

cadeirinhas de carro

No dia em que fomos para a maternidade, fiz um planejamento que parecia perfeito para a saída com o bebê: a mala espaçosa, pra caber tudo, a roupinha certa, a mantinha mais confortável… Mas acabamos esquecendo da cadeirinha (aff) e a Bia voltou no colo da mamãe. Falha nossa.

Em outra ocasião, quando carregava a Bia no colo em um curto trajeto de automóvel, passamos por um “quase acidente”. Outro veículo avançou o sinal e por um triz não colidimos. Meu coração veio na boca e fiquei desesperada – e tudo por pura preguiça de instalar a tal da cadeirinha.

Então, a partir de agora, a cadeirinha anda com a gente pra todo lado, sempre!

E, aproveitando que o Dia das Crianças está aí, de 10 a 16 de outubro vamos abordar o tema “segurança no trânsito” em parceria com a Sparco!

A Sparco é uma empresa italiana de produtos automobilísticos (calma que a gente explica), com mais de 30 anos de história, e que há pouco tempo lançou uma linha de cadeirinhas de criança para automóveis (viu que legal?). Há modelos bem bacanas, como o F500i, para crianças de 9 meses a 4 anos (já dá pra Bia usar, oba), e o F700i, para os pequenos de 3 a 12 anos.

Junto com a Sparco, vamos dar dicas de como escolher a cadeirinha perfeita para você manter seu baby tranquilo durante as viagens.

cadeirinhas de carro

Salvar

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Bebê atriz

maternidade e paternidade

Dica do papai: Não é não.

pai de primeira viagemDescobrimos recentemente que temos em casa um atriz digna de ganhar um Oscar. Quando ela quer alguma coisa que não achamos apropriado, ela inicia uma atuação de sofrimento que comove a qualquer um.

Chora, grita, faz pose de sofrimento, soluça como se alguém tivesse morrido.

Comovido, você pensa: Só um pouquinho não faz mal! Então, entrega o objeto tão desejado. No mesmo momento um largo sorriso de vitória se abre e você fica se sentindo totalmente manipulado. Um sentimento que mistura orgulho e vergonha. Até eu, que sou mais durão, vivo caindo nessa atuação algumas vezes.

Esta é uma fase em que os bebês começam a testar seus limites: se eu chorar muito, será que consigo o que quero? Consegui! Então vou fazer isso sempre!

Com mais ou menos um ano, o bebê já entende muito o que acontece a sua volta, mesmo que ele ainda não consiga falar propriamente. Então porque não obedece a gente quando dizemos não? Porque ainda está muito entretido com nossas  reações quando faz algo que sabe que não pode. Além do mais dizemos não pra tudo.

E isso faz o peso da palavra diminuir. Então, para valoriza-la melhor, escolha os momentos que são realmente perigosos e com as outras situações, apenas explique ao bebê porque não é muito bom ele fazer isso ou aquilo.

E outra dica é, se algo não for realmente perigoso, deixe o bebê explorar com você por perto, pois eles perdem o interesse muito rápido quando vêem que você permite.

contribua com o pipipum

 

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Bebê em fuga

pais-de-primeira-viagem-bebe-gravidez-bebe-em-fuga

Dica da mamãe: bebê ligeirinho
mamãe de primeira viagemA troca de fralda sempre foi algo tranquilo para gente. Aquele serzinho paradinho e todo maleável, obediente, às vezes até levantava as perninhas para ajudar. Mas eles crescem.
E agora a troca acontece mais ou menos assim:
  •  Você sente aquele cheirinho de fralda suja e torce para que seja apenas xixi.
  •  A Bia está muito grande, então o trocador já não serve. Agora é na cama mesmo (sorte que a cama é alta).
  • Você põe o bebê, tira a fralda e limpa o bumbum com muita relutância da parte dela.
  • E quando é o número dois? Não tem jeito, direto pro chuveiro!
  • Então, com o bebê limpinho na cama, você se distrai durante um segundo em busca do creme antiassadura. Quando volta pra finalizar o trabalho… Cadê o bebê?
  • Tem um bebê pelado em fuga pela cama.
  • Começa então uma maratona para conseguir passar o creme e colocar a fralda limpa.
Quem ouve os berros acha que estão torturando um bebê.
Ao final de tudo, você está exausta e adivinha só? É apenas a primeira troca de fralda do dia! rs
A dica de hoje é: tenha sempre em mãos algo com que o bebê não brinca muito e deixe com ele na hora de trocar a fralda. Assim você consegue alguns segundos de vantagem.
contribua com o pipipum
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail