Bebê atriz

maternidade e paternidade

Dica do papai: Não é não.

pai de primeira viagemDescobrimos recentemente que temos em casa um atriz digna de ganhar um Oscar. Quando ela quer alguma coisa que não achamos apropriado, ela inicia uma atuação de sofrimento que comove a qualquer um.

Chora, grita, faz pose de sofrimento, soluça como se alguém tivesse morrido.

Comovido, você pensa: Só um pouquinho não faz mal! Então, entrega o objeto tão desejado. No mesmo momento um largo sorriso de vitória se abre e você fica se sentindo totalmente manipulado. Um sentimento que mistura orgulho e vergonha. Até eu, que sou mais durão, vivo caindo nessa atuação algumas vezes.

Esta é uma fase em que os bebês começam a testar seus limites: se eu chorar muito, será que consigo o que quero? Consegui! Então vou fazer isso sempre!

Com mais ou menos um ano, o bebê já entende muito o que acontece a sua volta, mesmo que ele ainda não consiga falar propriamente. Então porque não obedece a gente quando dizemos não? Porque ainda está muito entretido com nossas  reações quando faz algo que sabe que não pode. Além do mais dizemos não pra tudo.

E isso faz o peso da palavra diminuir. Então, para valoriza-la melhor, escolha os momentos que são realmente perigosos e com as outras situações, apenas explique ao bebê porque não é muito bom ele fazer isso ou aquilo.

E outra dica é, se algo não for realmente perigoso, deixe o bebê explorar com você por perto, pois eles perdem o interesse muito rápido quando vêem que você permite.

contribua com o pipipum

 

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Peito de pombo

pais-de-primeira-viagem-bebe-gravidez-fazendo_birraDica do papai: Peito de pombo.

pai de primeira viagemE não é que aquele pinguinho de gente agora aprendeu a desafiar a gente?

Se não quer mais comer o papá, não está mais afim de brincar com determinado brinquedo, foi impedida de colocar as mãozinhas em um objeto perigoso ou se entediou de ficar esperando para tocar de fralda, ela joga os bracinhos pra trás, empina o peito e faz cara de brava. O olhar é incrivelmente desafiador.

Confesso, não tenho maturidade pra isso. Rs, pois com essa demonstração de desafio, deveria, segundo algumas literaturas educacionais me manter firme, mas inevitavelmente caio na gargalhada…não existe nada mais fofinho do que um neném bravo.

Enfim…ainda não temos uma dica para lidar com isso, mas acreditamos na criação com apego, dar carinho ao invés de um bofetão ou castigo, damos mais afago a ela nestes momentos de tensão, mas tentando se manter firme, pois a criança precisa que sejam impostos alguns limites, para o bem de sua criação.

contribua com o pipipum

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Leãozinho

ataque de fúria

Dica da Mamãe: Muita atenção

mamãe de primeira viagemFaz pouco menos de um mês que a Bia, uma bebê tão calminha, começou a ter ataques de fúria. Isso mesmo: fúria. Num momento está brincando toda feliz e um segundo depois parece um leãozinho.

No começo achava bonitinho, mas os ataques foram piorando até que começou a atacar as pessoas: ela morde, arranha, belisca, puxa o cabelo. Meu bebê anjo virou um bebê selvagem. Então comecei a suspeitar que aquilo devia ser algum tipo de aviso e fui procurar saber o que era. Minhas suspeitas se confirmaram.

Há alguma semanas falamos sobre um livro infantil chamado “Tenho monstros na barriga” da autora Tônia Casarin. E me surpreendi como o livro será realmente útil. O livro busca ensinar as crianças a entender seus sentimentos e expressa-los através de palavras.

O que está acontecendo com a Bia é exatamente isso. Ela é invadida por uma onda de sentimentos que vão de sono, fome, cansaço, super estímulo… E não sabe como se expressar, terminando assim num ataque de fúria.

O que fazer nesses casos?

Primeiro, se coloque no lugar do bebê e tente observar a causa do “ataque” que pode ser uma necessidade não atendida como sono. Depois tire-o do ambiente e quando se acalmar, tente explicar o que ele estava sentindo através de palavras. Abrace-o e converse mesmo que aparentemente ele não entenda. Diálogo é sempre o melhor caminho.

Obviamente não é tão simples assim. Exige muita paciência e calma dos pais, pois afinal, ter uma criança é entrar numa grande escola de como ser paciente.

O Paizinho Vírgula também tem um texto legal sobre isso bem aqui.

contribua com o pipipum
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Desconsertada

leite vazandoDica da Mamãe: Encharcada

mamãe de primeira viagemAlgumas mamães costumam contar que basta ouvir o choro do neném para que o seio seja automaticamente estimulado e se encha de leite. Outra história também muito comum é que quando o bebê está mamando em um dos seios o outro fica cheio e começa a vazar. Ops.

Ou seja, a mesma situação que te deixa poderosa (com uma linda comissão de frente) pode te deixar desconsertada, pois muitas vezes o leite encharca toda a sua roupa. E é comum esquecer de colocar na bolsa o absorvente de seios, causando o maior transtorno durante aquela agradável saidinha.

Amamentar não são só flores. A gente ainda está aprendendo e não sabemos todos os macetes. Errar é normal, só não pode persistir no erro, né? Sempre pensamos no nosso bebê, mas acabamos esquecendo de cuidar de nós mesmas.

Por isso, lembre-se: quando preparar a bolsa de passeio do bebê, não deixe de incluir um estoque de protetor de seios, uma camisetinha extra e um batonzinho, pois a mamãe precisa continuar sempre linda!

contribua com o pipipum

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Melhor método contraceptivo disponível no mercado

anticoncepcional natural

Dica da mamãe: bebê e o radar antissexo

mamãe de primeira viagemDepois de passado o perrengue dos primeiros meses do nascimento do bebê, vamos retornando aos poucos a nossa vida “normal”. No entanto, tem uma coisinha que demora muito pra se ajustar: a vida amorosa dos pais.

É um assunto sobre o qual não vejo muitas reportagens por aí e acho importante falar. Não é simples como aparenta ser, pois há muitos fatores complicadores, como o extremo cansaço no fim do dia, a preocupação de o bebê acordar, a insegurança da mulher com o seu “novo” corpo, o medo de engravidar mais uma vez e, principalmente, o “radar antissexo” do seu bebê, rs.

Sim!!! Eles têm um incrível radar que os faz detectar desde leves beijinhos até os amassos mais caprichados, mesmo às três horas da manhã. Já fizemos “testes” aqui em casa para comprovar nossa teoria. Não encontrei nenhum estudo que fale sobre isso, mas deve existir…

Sabemos que o bebê e a mãe têm uma fortíssima conexão de amor, mas é incrível a coincidência entre o despertar do bebê e os momentos de namoro dos pais. É quase um sexto sentido!

Alguém mais passa por isso?!?

Nesse caso, a nossa dica para conseguir ter um momento a sós é: programar uma noite com um familiar para cuidar de seu bebê por algumas horas enquanto vocês, digamos, “relembram” como é namorar… \o/

Digo “algumas horas” porque duvido que consigam ficar muito tempo longe de seus “chicletinhos”. Bem… Esse é o nosso caso, pelo menos!!!

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail