Gripe em família

Bebê resfriadoDica do papai: Gripe! 

pai de primeira viagemCof! Cof! Funga! Funga!

Jamais subestime a gripe de uma criança!

Nunca realmente me preocupei de a Bia ficar gripada. Ela é forte e saudável, e a Su tem uma alimentação balanceada, deixando o leite materno forte e imunizante. Eu imaginava que ela, no máximo, poderia pegar um resfriadinho de nariz escorrendo. Ah, se arrependimento matasse…
Você fica superpreocupado com seu bebê todo encatarrado e com dificuldade para respirar. Pra piorar, a criança não sabe escarrar, ou seja, a obstrução na garganta só aumenta e ela fica aflita. Aí mais uma vez entra em ação aquele “sugador de meleca”, para amenizar a coriza, e para o terror da pequena, rs.
Obviamente, ninguém dorme, já que o bebê acorda de hora em hora chorando. Um suplício pra todo mundo.
A recomendação da pediatra foi a nebulização, mas pra Bia ficar parada tivemos de apelar e chamar a Peppa Pig pra dar uma força pra gente…
A dica é aquela manjada, mas que ainda vale, e muito: previna-se o máximo possível, principalmente para não passar sua gripe para o bebê. Lave as mãos, use máscara, durma em quarto separado ou o que der pra fazer, porque é terrível!!! Tome vitamina C, evite banhos quentes e agasalhe-se, pois a família inteira pode acabar gripada.
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Zzzziiiiiiiiiiiiiiiiiin

Prevenção de zicaDica do papai: Família caça-mosquito.

pai de primeira viagemToda noite aqui em casa, na hora de dormir, passamos pelo mesmo ritual: a mamãe tira a Bia do quarto, eu entro de peito estufado, cheio de ousadia e coragem, e só saio depois de eliminar o maior número possível de pernilongos.

Moramos no primeiro andar e às vezes, em uma só noite, encontramos mais de dez “borrachudos” no quarto. E as picadas, além do inconveniente dos calombos que dão coceira, podem trazer doenças, como zika e dengue (isola, rs!). Ou seja, não dá para ignorar a presença da mosquitada – ainda mais com aquele zumbido insuportável no ouvido.

Contra mosquitos já tentamos de tudo: citronela, incenso, mosquiteiro… E nós evitamos produtos químicos, pois até os 6 meses do bebê não é recomendado. Então o que sobrou foi a boa e velha raquete eletrizada.

Confesso que consigo me divertir, porque não há nada mais gratificante do que dar um choquinho nessas muriçocas danadas… Que a Sociedade Protetora dos Animais me perdoe, mas faço 99% pelo bem-estar da família… com aquele 1% de “sadismo”, rs.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail