Melhor método contraceptivo disponível no mercado

anticoncepcional natural

Dica da mamãe: bebê e o radar antissexo

mamãe de primeira viagemDepois de passado o perrengue dos primeiros meses do nascimento do bebê, vamos retornando aos poucos a nossa vida “normal”. No entanto, tem uma coisinha que demora muito pra se ajustar: a vida amorosa dos pais.

É um assunto sobre o qual não vejo muitas reportagens por aí e acho importante falar. Não é simples como aparenta ser, pois há muitos fatores complicadores, como o extremo cansaço no fim do dia, a preocupação de o bebê acordar, a insegurança da mulher com o seu “novo” corpo, o medo de engravidar mais uma vez e, principalmente, o “radar antissexo” do seu bebê, rs.

Sim!!! Eles têm um incrível radar que os faz detectar desde leves beijinhos até os amassos mais caprichados, mesmo às três horas da manhã. Já fizemos “testes” aqui em casa para comprovar nossa teoria. Não encontrei nenhum estudo que fale sobre isso, mas deve existir…

Sabemos que o bebê e a mãe têm uma fortíssima conexão de amor, mas é incrível a coincidência entre o despertar do bebê e os momentos de namoro dos pais. É quase um sexto sentido!

Alguém mais passa por isso?!?

Nesse caso, a nossa dica para conseguir ter um momento a sós é: programar uma noite com um familiar para cuidar de seu bebê por algumas horas enquanto vocês, digamos, “relembram” como é namorar… \o/

Digo “algumas horas” porque duvido que consigam ficar muito tempo longe de seus “chicletinhos”. Bem… Esse é o nosso caso, pelo menos!!!

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

Muito colo pode?

muito colo

Dica da mamãe: Muito colo pode sim!

mamãe de primeira viagem

Quem nunca recebeu “bronca” até de desconhecidos por “dar colo demais” para o seu bebê?

As justificativas são sempre as mesmas: “Vai mimar essa criança”; “Ela nunca vai andar assim”; “Vai ficar grudada demais em você”.

Mas ainda bem que a ciência está do nosso lado. Diversos estudos, como o do Kangaroo Mother Care, mostram que o colo é muito importante para manter o bebê quentinho, facilita o aleitamento, protege o bebê de infecções, transmite segurança e o ajuda a se desenvolver melhor.

Você já ouviu falar em Criação com Apego (Attachment Parenting International)? É um estilo de criar seu filho de forma mais carinhosa, que o ajude a ser mais independente e o faça sentir toda a segurança que o amor dos pais pode proporcionar. Muitos confundem isso com criar filhos mimados, mas é exatamente o oposto. E isso não é algo novo; existe há milhares de anos e tem se mostrado muito eficaz.

O blogueiro Paizinho, Vírgula! é um dos representantes oficiais da Criação com Apego e discute o tema com frequência em seu blog e no seu canal no Youtube. Veja um de seus vídeos sobre como dar colo é importante na vida de um bebê:

Para saber mais sobre o Paizinho, Vírgula! clique aqui.

Paizinho, Vírgula! no facebook;

Canal do Paizinho, Vírgula! no Youtube;

Para saber mais sobre Kangaroo Mother Care clique aqui.

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

A culpa é sempre do papai

choro bebê

Dica do Amigo Revisor: Mamãe diz A, papai diz B.

revisor amigo dos pais de primeira viagemÉ dureza essa vida de pais de primeira viagem, viu. Tanta coisa pra decidir. Muitas vezes a gente é obrigado a ser mais pragmático, por conta do tempo disponível, das obrigações profissionais, das relações familiares, do orçamento cada vez mais apertado. E então papai e mamãe precisam sentar juntos pra discutir o itinerário dessa viagem fofa e turbulenta que é criar um filho.

É muito, muito comum que os papais e mamães desta geração trabalhem fora; podem reparar, é cada vez mais difícil encontrar casais, principalmente entre os mais jovens, em que a mulher ou o homem se dedique exclusivamente à casa ou aos filhos. As obrigações, então, passaram a ser mais compartilhadas e aquelas “funções” que antes pareciam ser quase inerentes às mulheres hoje já podem ser consideradas “unissex”. E isso é muito bom, sabe. \o/

Mamãe e papai apitam do mesmo jeito, mas é preciso apitar no ritmo pra que tudo ocorra nos conformes. Obviamente, isso também afeta a forma de encarar a criação dos filhos. Então: é preciso haver um meio-termo sobre como proceder na relação com a criança, uma sintonia para que o seu filho também compreenda que há um equilíbrio. Vou dar um exemplo (bem bobinho, mas que talvez ilustre melhor o que estou tentando explicar): se a mamãe chama a atenção do bebê bagunceiro, o papai não pode ficar achando graça; tem que demonstrar que também não está gostando. Mas, claro, papai e mamãe não concordam o tempo inteiro; é aí, portanto, que cabe aquela conversinha, pra garantir a harmonia da casa.

A dica de hoje é bem simples: papai e mamãe têm de conversar pra se entender sobre como criar o bebê. Não há certo ou errado, mas pontos de vista. Um cafezinho, um dedo de prosa e muito amor resolvem qualquer parada.

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

Bia através do espelho

bebe se olhando no espelho

Dica da mamãe: Bia através do espelho.

mamãe de primeira viagemVocê sabia que o bebê não se reconhece no espelho até 1 ano de idade?

Ele acha que é um outro ser muito pequeno e interessante, e por isso adora um espelho.

Um estudo mostrou que, ao colocar um nariz de palhaço no bebê menor de 1 ano, ele sempre tentará pegar o nariz do “outro”. No entanto, após um ano de idade, a criança já consegue apanhar o próprio nariz.

Mesmo não se reconhecendo, vocês aí em casa podem colocar seu bebê na frente do espelho que não tem problema algum. Há diversos brinquedinhos, aliás, que vêm com espelhinho de acrílico, o que evita acidentes e proporciona muita diversão.

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

Quando o tempo esfria…

bebe dodói com resfriado

Dica da mamãe: Mantenha a calma!

mamãe de primeira viagemCom a chegada do frio, a Bia pegou seu primeiro resfriado. Por ela não ter febre e continuar alegre, sabia que não era nada de mais. No entanto, liguei pra pediatra, já que, como pais de primeira viagem que somos, não sabíamos muito bem o que fazer. Pelas informações que passei, ela disse que era melhor não dar nenhum remédio, apenas limpar o nariz com um soro de spray que recomendou e aguardar. Foi o que fiz.

Durante o dia, tudo tranquilo, mas à noite… Ela engasgava, tossia e eu me desesperava.

Um amigo médico veio visitar a gente e falou que não era nada de mais. Relaxei. Mas aí vieram outros conhecidos e tacaram o terror. “Leva na pediatra, ela pode ter bronquite”; “Cuidado que pode virar pneumonia”; “Parece que tá com catarro no pulmão”… Minha tranquilidade foi pro espaço. Fui ficando cada vez mais nervosa e neurótica, mas a Bia continuou na dela, sempre sorrindo e de boa. Quase fui numa emergência à noite, mas o papai, que estava mais calmo, me conteve. Então marquei a pediatra.

Resultado: realmente não era nada, nem febre a Bia teve. Estava ótima. A pediatra passou outro soro pra limpar melhor o nariz, um “sugador de meleca” e pronto!
Bia dormiu como um anjinho. E eu fiquei muuuuito mais relaxada. Mas é impressionante como um simples resfriado pode fazer surgir uma mãe neurótica!

Então a dica do dia é: tranquilidade, antes de tudo. Não é preciso correr pra emergência por causa de um resfriado, mas marque um pediatra pra tirar qualquer dúvida sobre como proceder nesses casos, para que seu pimpolho consiga dormir melhor.

(E, no fim das contas, quem realmente ficou mal foi o papai, que caiu de cama por dois dias…)

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail